A defensora pública Denize Souza Leite conheceu a instituição e também os abrigos dos refugiados vindos da Venezuela  

Representando a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) e a Associação Nacional de Defensoras e Defensores Públicos (Anadep), a defensora pública Denize Souza Leite esteve, recentemente, no estado de Roraima, no Norte do País. Ela participou, na cidade de Boa Vista, nos dias 25 e 26 de julho, de uma série de eventos para discutir gênero, raça e migração, em alusão ao Dia Nacional de Tereza Benguela e o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha.

Denize integra a Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade Étnico-Racial da Anadep e a Coletiva de Defensoras do Brasil, representando o Tocantins. Na ocasião, foi realizada uma roda de conversa e a palestra “O papel de mulher negra, indígena, latino americana, caribenha e migrante na construção social e política de seu tempo”. Na oportunidade, a Comissão dos Direitos da Mulher da ANADEP realizou a 2ª reunião ordinária do grupo em 2019. As defensoras abordaram o tema da campanha nacional #EmDefesaDelas, que deve ser trabalhado em diversas perspectivas durante um ano em todo o país.

A defensora pública do Tocantins ressaltou, durante a programação, a importância das comissões da Anadep e do momento de encontro. “Precisamos saber se as mulheres, principalmente as negras, indígenas, migrantes, vêem na Defensoria Pública uma possibilidade de empoderamento, que deve se dar não individualmente, mas de forma coletiva. Por isto, fazer parte das Comissões da Anadep, nos coloca a frente de lutas”, considerou.

Atuação

Na Defensoria Pública de Roraima, Denize conheceu as instalações da instituição em Boa Vista, que passou a utilizar o sistema tocantinense de atendimento – Solar -, após visita da gestão à DPE-TO.  “Foi a oportunidade de conhecer a DPE de Roraima, onde fiquei orgulhosa com os elogios ao nosso sistema Solar, que lá é utilizado e pude acompanhar o sistema de atendimento local”, disse.

Na oportunidade, a comunidade também visitou a comunidade local, conhecendo principalmente a realidade dos refugiados vindos da Venezuela. “Visitamos um dos 13 abrigos do Estado, sendo nove em Boa Vista. Num total de mais de quatro mil pessoas abrigadas, a maioria mulheres e crianças. Pela comissão da Anadep, articularemos algumas ações. A situação está caótica. São cerca de 500 pessoas por dia que chegam pelas fronteiras em situação desesperadora”, expressou Denize.

A comitiva da Anadep visitou os abrigos, acompanhada por integrantes da ONU Mulheres. “Precisamos estar atentos porque essa situação já se calcula que trará impacto a todos os Estados. A DPE de Roraima já atende diariamente migrantes com as mais diversas demandas”, complementou.

Para a coordenadora da Comissão dos Direitos da Mulher, Rita Lima, ” trazer o evento para a região Norte do país é desafiar a geografia da razão. Aqui, os índices de violação dos direitos humanos das mulheres é altíssimo, porém, invisibilizado. Possibilitar que as defensoras públicas conheçam a realidade das mulheres do Norte, particularmente das mulheres negras, migrantes e das indígenas, enriquece o olhar da Comissão e possibilita que estudemos novas estratégias de enfrentamento à violência contra as mulheres, não apenas por ocasião da Campanha Nacional, #EmDefesaDelas, mas também no exercício de nossas funções institucionais.”…Cinthia Abreu/ Ascom DPE-TO)

Posts recentes

Categorias

[jetpack_subscription_form show_only_email_and_button=”true” custom_background_button_color=”undefined” custom_text_button_color=”undefined” submit_button_text=”Subscribe” submit_button_classes=”undefined” show_subscribers_total=”false” ]

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons