Médicos e enfermeiros das unidades básicas de Araguaína recebem atualização sobre sintomas e tratamento. Identificação precoce aumenta chances de eliminar enfermidade

A capacitação está sendo realizada no auditório do Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), localizado na Rua Quinze de Novembro, nº 923, no Setor Central, das 14 às 18 horas

Os médicos e enfermeiros que trabalham nas unidades básicas de saúde (UBS) de Araguaína estão recebendo uma atualização sobre a Doença de Chagas. Até às 18 horas desta quarta-feira, 86 profissionais terão participado das orientações sobre sinais, sintomas, prevenção e higiene. O objetivo é preparar as UBS para diagnóstico rápido e humanizado da enfermidade, pois a agilidade para iniciar o tratamento aumenta a chance de exterminar o agente causador.

De acordo com a médica veterinária e coordenadora do programa de combate à Doença de Chagas, Ketren Gomes, os primeiros sintomas da contaminação são bem comuns e a pessoa pode não dar a devida atenção. “Febre prolongada, dor no corpo e de cabeça, franqueza e inchaço no rosto e pernas. Pode parecer com uma gripe ou dengue e há pessoas que tomam relaxante muscular”, alerta.

Os sintomas citados acima podem aparecer, ou não, nos primeiros 60 dias, e quando o tratamento é iniciado dentro do período as chances de exterminar o protozoário invasor é grande. “Nem sempre há sinais de contaminação, mas o exame deve ser realizado também quando houver relato do consumo dos frutos das palmeiras, como açaí e bacaba. Principalmente se for da região que originou o surto atual”, afirma Ketren.

O surto

Na semana passada, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Araguaína detectou um surto de Doença de Chagas por transmissão oral. Uma bacaba contaminada com a Doença de Chagas foi trazida do Assentamento Barra Bonita, localizado do Município de Carmolândia, a 30 km de Araguaína.

Além da capacitação dos médicos e enfermeiros de Araguaína, na última sexta-feira, dia 9, 20 profissionais da UBS do Novo Horizonte receberam a atualização devido à proximidade com o foco. Os trabalhos de investigação de novos casos continuam sendo feitos pelo Município e até o momento, 86 pessoas realizaram o exame. Seis pessoas foram confirmadas e estão internadas no Hospital de Doenças Tropicais de Araguaína (HDT).

Como consumir com segurança

Para saborear a bacaba e o açaí é preciso cuidado com a higienização. Primeiro, passe o fruto pela peneira para retirar a sujeira mais grossa. Logo após, faça ao menos três lavagens em água corrente. Aqueça água até 80ºC e misture uma colher de água sanitária para cada litro de água, mergulhe o fruto na solução por 10 segundos. Retire, enxague várias vezes para retirar o cloro e resfrie para dar um choque térmico. Só então, o fruto estará pronto para o consumo. (
Marcelo Martin / Foto: Marcos Filho Sandes/Ascom )

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons