Nesta terça-feira, 18, o projeto Voluntários do Meio Ambiente, do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) retornou à Colônia de Pescadores Profissionais de Araguacema (CPPA) para realizar a renovação das carteirinhas emitidas aos pescadores associados.

Eles são comprometidos com a conservação dos recursos pesqueiros da região, por meio do Acordo de Pesca entre o Instituto e a Cooperativa de Trabalho, Prestação de Serviços, Assistência Técnica e Extensão Rural (Coopter), que acompanha o manejo da espécie pirarucu nas regiões formadas por lagos no rio Caiapó, em Araguacema, e no rio Bananal, em Couto Magalhães.

Aproximadamente 26 pescadores voluntários participaram da oficina, avaliando cada etapa da evolução dos recursos pesqueiros, a necessidade de continuação do projeto de formação de Voluntários, bem como a realização de ações como a limpeza nas margens do rio, a orientação do turismo e o reforço das ações de preservação do meio ambiente. Os profissionais ausentes se mantiveram nos postos de vigilância do rio e devem participar, ao longo da semana, do processo de renovação da carteirinha.

De acordo com a educadora Ambiental do Naturatins Nelma Mota, após a capacitação, foi proposto o desenvolvimento de um Plano de Educação Ambiental da Colônia de Pesca, para manter a conservação dos tracajás, além da espécie pirarucu que vem sendo manejada.

Na oportunidade, foi sugerida a elaboração desse planejamento com o acompanhamento técnico dos educadores ambientais do Escritório Regional do Naturatins de Araguacema, junto à vigilância prevista no Acordo de Pesca da própria Colônia, que vão contar com o suporte da equipe da sede do Instituto no direcionamento das ações.

Pescadores salvam 604 quelônios

Nelma Mota e o engenheiro de pesca da Coopter, Onivaldo Rocha, foram convidados a acompanhar a soltura de 604 tartarugas no rio Araguaia, resultadas do manejo realizado por iniciativa própria dos pescadores voluntários do Meio Ambiente da Colônia de Pescadores de Araguacema.

Os profissionais da pesca envolvidos nessa ação relataram que não conseguiram salvar somente um ninho, antes que a elevação das águas do rio tomasse o local onde as tartarugas haviam depositados os ovos. Mas que, além das unidades nascidas e soltas naquele instante às margens do rio, outras dezenas de quelônios aguardam o momento da desova para conclusão do procedimento.

Os voluntários do meio ambiente contam que empreendem esforços para dar continuidade à prática dos conhecimentos adquiridos durante a participação em projetos semelhantes. Mas esclarecem que sempre buscam o apoio do Naturatins e de outros órgãos ambientais para o acompanhamento do processo e transparência do manejo, que tem o objetivo de contribuir com o repovoamento das tartarugas no rio Araguaia.

Para o presidente do Naturatins, Marcelo Falcão, a iniciativa dos pescadores da colônia deve ser multiplicada, sempre com o conhecimento dos órgãos ambientais. “Além de colaborar com o equilíbrio ambiental, o manejo adequado dessa espécie tende a contribuir com a sustentabilidade da pesca profissional da região. Mas toda iniciativa deve cumprir com as exigências da legislação ambiental”, afirma.

“Recomendamos que toda intenção de procedimento ou execução de iniciativas ambientais devem ser informadas aos órgãos ambientais. A ação deve ser documentada, protocolada com antecedência, para a avaliação da viabilidade, da capacitação técnica, da segurança ambiental e das pessoas envolvidas, além do acompanhamento das etapas e da legalidade da ação”, pontua Marcelo Falcão.

“A autorização ambiental dos envolvidos assegura a legitimidade da atividade e evita transtornos com a equipe de fiscalização, especialmente em situação de denúncia de crime ambiental”, adverte o presidente do Naturatins.

Projeto Pescar

É um dos projetos de manejo de espécies silvestre em atividade no Tocantins. O engenheiro de pesca e coordenador do Projeto Pescar da Coopter, Onivaldo Rocha, esclarece que o projeto recebe recursos da Fundação Interamericana (IAF) desde 2014. Junto ao Naturatins, o Projeto conseguiu aprovar algumas portarias de fortalecimento do acordo de pesca. Esse projeto conta com parceiros como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, o Ministério Público Federal, as prefeituras municipais de Araguacema e Couto Magalhães e suas respectivas câmaras de vereadores. (Cleide Veloso/Governo do Tocantins)

Posts recentes

Categorias

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons