Visita teve como objetivo promover uma troca de experiências e saberes entre as gestões das unidades de cada Estado

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) recebeu, na última semana, a vista de técnicos da Secretaria do Meio Ambiente do Amapá, responsáveis pelas Unidades de Conservação (UCs) do estado. A visita foi fruto de uma articulação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) do Tocantins e teve como intuito promover um intercâmbio entre as gestões das Ucs dos dois estados.

Os técnicos visitaram as UCs, APA Serra do Lajeado e do Lago de Palmas, Parque Estadual do Lajeado e Parque Estadual do Cantão, onde puderam ver as instalações, funcionamentos, administração e os potenciais turísticos de cada unidade. Na ocasião, tanto os técnicos do Amapá quanto os das UCs do Tocantins puderam tirar dúvidas e fazer trocas de experiências e saberes sobre as gestões das UCs de cada estado, além de conhecer as atividades realizadas em cada UC do Tocantins. 

Para o gerente das Unidades de Conservação do Naturatins, Gilberto Oliveira, é muito importante realizar esses intercâmbios entre gestões, principalmente entre as unidades de biomas diferenciados como é do Amapá – Amazônico- e o do Tocantins – Cerrado. Segundo o gerente, “há uma legislação nacional sobre as Unidades de Conservação, mas cada estado também possui sua própria legislação, sua autonomia e diferenças. Tudo isso leva em consideração o bioma presente e a cultura local, por isso esses intercâmbios são tão importantes para promover essas trocas de experiências, pois muitas vezes algumas ferramentas a gente não conhece e algumas de quem vem nos conhecer são levadas para aprimorar. Então esses intercâmbios fazem a gente caminhar para o bem principal que é a proteção das Unidades de Conservação”.

O supervisor da Unidade de Conservação do Parque Estadual do Cantão (PEC), Adailton Glória, foi quem recebeu e guiou a equipe do Meio Ambiente do Amapá no parque. Durante a visita, o supervisor ressaltou a importância do Parque do Cantão pertencer ao programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), programa em que as UCs do Amapá também pertencem. “Quando fazemos esses intercâmbios, aprendemos coisas mínimas que fazem diferença na gestão de uma Unidade de Conservação. Eles [técnicos das UCs do Amapá] têm toda uma experiência de gestão do Arpa, então a gente consegue fazer um paralelo entre as dificuldades que cada UC tem pra fazer toda a gestão na área ambiental, no trabalho com a comunidade, com os ribeirinhos, que para nós são os torrãozeiros. São estados e realidades diferentes, mas as ações do Arpa são iguais, só os insumos que mudam, então essa troca de experiência in loco faz com que a gente tenha novas visões”, destaca o supervisor.

O coordenador de Gestão das Unidades de Conservação e Biodiversidade do Meio Ambiente do Amapá, Euryando Costa, ressalta que a ideia do intercâmbio é fazer essa troca com o Tocantins entre o que tem de positivo entre as gestões das UCs dos estados. “Nós viemos do Amapá pra conhecer essas experiências de APAs, parques, e poder, além disso, conhecer um pouco dessa questão das experiências que são apresentadas dentro dessas Unidades como turismo de proteção, o próprio uso sustentável das APAs em alguns aspectos comunitários, é isso que a gente quer levar ao Amapá, buscar para as nossas Unidades de Conservação essas boas práticas de experiências sustentáveis em relação à conservação e preservação”.

Cristiane Rocha, uma das técnicas da Secretaria do Meio Ambiente do Amapá, ressalta que a importância do intercâmbio está sendo a troca de experiências sobre a participação das comunidades nas gestões das UCs. “Estou com um desafio no estado de fazer gestão de uma área de proteção ambiental em que existem vários problemas de gestão de uso público”. 

A técnica vê, nas UCs do Tocantins, uma boa prática de gestão participativa da comunidade. “A partir das experiências passadas das UCs do TO, justamente nessa questão de uso público da relação com as pessoas que moram no entorno e como fazer essa gestão participativa e comunitária para o próprio desenvolvimento da região, isso pelo menos pra mim, para a minha experiência pessoal, está sendo muito importante”, conclui Cristiane Rocha.

Esse intercâmbio entre técnicos de Unidades de Conservação do Amapá e Tocantins foi promovido pela Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Tocantins com a parceria do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), que é o órgão responsável pelas Unidades de Conservação do Tocantins.

Fonte: por Ana Elisa Martins/Secom/TO.

Edição: Caroline Spricigo – Revisão Textual: Marynne Juliate

Imagem capa: Técnicos visitam torrãozeiros do PEC – Foto: Fernando Alves/Secom/TO.

Técnicos do Amapá visitaram a APA Serra do Lajeado – Fernando Alves/Governo do TocantinsTécnicos do Amapá, em visita ao PEC, e o supervisor fala como funciona a administração e as atividades da Unidade – Fernando Alves/Governo do TocantinsPEC faz parte do Programa da Arpa, em que as UCs do Amapá também participam – Fernando Alves/Governo do TocantinsPrimeira UC visitada pelos técnicos do Amapá foi o Parque do Lajeado onde puderam fazer uma troca sobre as gestão do parque e UCs do Amapá – Fernando Alves/Governo do Tocantins

Posts recentes

Categorias

https://selo144.wordpress.com

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons