Moradores e movimentos sociais de Santarém, no Pará, alertam para mais uma tentativa de modificar Plano Diretor da cidade, para tentar implantar um projeto de zona portuária na região do Lago do Maicá uma área de proteção ambiental e de terras quilombolas. Recentemente empreendimentos imobiliários como o na região do Buriti foram impedidos depois de muita luta e intervenção do Ministério Público. Santarém fica no encontro das águas do Rio Tapajós e do Rio Amazonas. Veja no artigo de Caetano Scannavino com estão sendo feitas as manobras e quais os riscos sócio ambientais e as discussões pertinentes

PORTO EM MAICÁ? É chamar um Buriti II. De novo…

Independente da necessidade de uma nova zona portuária, por envolver área de proteção ambiental e terras quilombolas, é pedir pra judicializar. Indo por aí, Santarém não terá um porto tão cedo…CONTINUE LENDO…

Posts recentes

Categorias

By Editor

Webjornalista & blogueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons